Descrição do projeto
2018O impacto das Instituições de Ensino Superior na qualidade de vida das suas regiõesCom este projeto pretende-se fazer uma abordagem inovadora no estudo do impacto que as instituições de ensino superior (IES) têm na qualidade de vida (QV) das regiões onde se inserem, quer ao nível qualitativo quer quantitativo, bem como a eficiência das mesmas na transformação de fundos públicos, fundos próprios e diferentes tipos de capital humano, social e organizacional em outputs com influência na QV das populações e sustentabilidade das suas regiões de influência. OBJECTIVOS: Espera-se com este projeto desenvolver: - Um sistema de indicadores que possa ser utilizado para quantificar a influência das IES na QV das populações das suas regiões; - Uma matriz de impacto multidimensional das IES na QV das populações das suas regiões; - Um sistema de monitorização e quantificação da QV da população na região de influência de cada IES. Os resultados deste projeto permitirão contribuir para a definição de novas políticas de ensino superior ao identificar as principais variáveis e os diferentes tipos de efeitos que podem ser induzidos pelas IES no que se refere ao desenvolvimento sustentável das regiões, e por consequência, do país. A nível prático permitirão desenvolver instrumentos de medição e de monitorização dos efeitos das IES na QV das suas regiões de influência ao mesmo tempo que, para as IES, fornecerão informações e instrumentos que lhes permitirão avaliar até que ponto estão a responder de forma eficiente às necessidades dos seus stakeholders, bem como revelar quais as formas mais eficazes de o fazer.
2009Uma Análise da Satisfação e Motivação Académica no Ensino Superior Português Os docentes juntamente com os alunos constituem um grupo importante que contribui para a cultura institucional. Os acadêmicos são um recurso fundamental dentro das instituições de ensino superior tendo um papel importante na consecução dos objetivos da instituição. A centralidade do papel do corpo docente faz dele um escultor da cultura institucional. O desempenho do corpo docente como professores e investigadores determina grande parte da satisfação do aluno e tem impacto na aprendizagem dos alunos e, portanto, na contribuição das instituições de ensino superior (IES) para a sociedade. Apesar de vários estudos terem analisado este tópico em todo o mundo, pouco se conhece no contexto do ensino superior em Portugal. Este estudo tem como objetivo identificar as questões e seus impactos na motivação e satisfação profissional do pessoal docente, oferecendo reflexões adicionais sobre as relações e estratégias que podem promover essas qualidades e, consequentemente, a produtividade. O objetivo é compreender os parâmetros da satisfação no trabalho e motivação no corpo docente. Os objetivos são: 1. Determinar as dimensões associadas à satisfação no trabalho e motivação do pessoal docente; 2. Analisar como a satisfação no trabalho e a motivação diferem entre subgrupos; 3. Determinar as relações entre satisfação e motivação; 4. Fornecer reflexões sobre os pontos fortes e fracos sobre a carreira docente dentro do Sistema de ensino superior; 5. Produzir documentos que possam ser amplamente divulgados para uso e benefício das IES em Portugal.
2015Sucesso de Género no Ensino Superior: Perspectivas GlobaisIdentificar e analisar, numa perspectiva comparativa, casos de sucesso na promoção da igualdade de género nas Instituições de Ensino Superior.
2016Learning Outcomes no Sistema de Ensino Superior PortuguêsA implementação do processo de Bolonha influenciou o desenvolvimento dos processos de garantia de qualidade em muitos países europeus. Em particular, a implementação do Quadro de Qualificações do Ensino Superior (Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, 2009) desencadeou o debate sobre o uso de descritores genéricos para cada um dos três ciclos de estudo que é baseado em Learning Outcomes (LO). No entanto, embora a relevância dos LOs no processo de Bolonha, não há referência explícita a este conceito, nem na Declaração de Bolonha (1999), nem no Comunicado de Praga (2011). Somente no Comunicado de Berlim (2003) os LO são extensivamente referidos. Neste documento, os Estados-membros são encorajados a delinear um quadro de qualificações com qualificações comparáveis ​​e compatíveis para os seus sistemas de ensino superior, e devem aspirar a descrever as qualificações em termos de carga de trabalho, nível, LOs e competências de saída e perfil profissional (Comissão Europeia, 2008). De acordo com a definição de Adam (2008), os LOs são afirmações sobre o que um estudante deve saber, compreender e/ou demonstrar no final de um determinado período de aprendizagem (p. 8). Nesse sentido, os LOs são descritos como “um elemento fundamental da reforma educacional de Bolonha” (Adam, 2006, p. 3). A ênfase é colocada no que se espera que um estudante adquira em termos de conhecimentos, habilidades e competências, de acordo com cada nível de qualificação (Gallavara, Hreinsson, Kajaste, & Zadeh, 2008; Tissot, 2008). Mais do que fornecer uma descrição dos resultados esperados ou pretendidos da aprendizagem, os LOs devem, também, indicar a forma como essas conquistas serão avaliadas. Ou seja, os LOs devem explicitar, não apenas o que se espera que os estudantes sejam capazes de fazer, mas também os critérios que serão usados ​​para os avaliar (Adam, 2004; Moon, 2004; Wiliam, 2010). Esta abordagem ajuda os estudantes a identificar antecipadamente o que se espera que eles saibam, compreendam e executem, seja para um determinado programa de estudos ou para uma aula específica, bem como os critérios de avaliação que serão usados. A literatura sobre este assunto apresenta diferentes descrições e entendimentos sobre os LOs, tornando o conceito ambíguo e pouco claro (Aamodt & Hovdhaugen, 2008; Adam, 2008; Scott, 2011). Por exemplo, Nusche (2008) defende uma categorização de resultados de aprendizagem para o ensino superior, com base na divisão entre resultados cognitivos e não cognitivos, com base em “o que um aprendiz sabe ou pode fazer como resultado da aprendizagem” (p. 7). À luz da revisão da literatura, esta proposta de investigação pretende contribuir para a avaliação e reflexão do grau de implementação, conclusão e avaliação dos LOs realizados pelas IES em Portugal. Para tal, são analisadas as políticas internacionais, com especial destaque para o contexto europeu, e utilizando as diretrizes do Quadro Nacional de Qualificações (Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, 2009), para refletir sobre uma abordagem holística sobre o processo de conceção, implementação e avaliação dos LOs no sistema de ensino superior em Portugal. Duas abordagens metodológicas serão utilizadas. Por um lado, uma análise de conteúdo fornecerá informações sobre que conhecimentos, habilidades e competências são enfatizados pelas Instituições de Ensino Superior Português como um resultado de aprendizagem nos seus currículos. Por outro lado, uma análise linguística informará sobre como o LO foi definido por essas instituições.
2016Recrutamento e integração de académicos internacionais numa perspectiva comparativaEste projeto visa identificar, de forma comparativa, a situação atual de recrutamento e integração de investigadores internacionais em Instituições de Ensino Superior.
2016Profissão Académica numa Sociedade baseada no ConhecimentoO objetivo deste projeto é analisar, de forma comparativa, mudanças na profissão académica no contexto da sociedade do conhecimento.
2007Género, Poder e Gestão: Uma Análise Tanscultural do Ensino SuperiorO objetivo deste projeto foi realizar uma análise comparativa das diferenças de género na gestão de topo no ensino superior em oito países.
2009Mudanças na Profissão Académica - Uma Perspectiva ComparativaEste projeto teve como objetivo analisar as mudanças na profissão académica por referência às profissões de saúde (médicos e enfermeiros).
2013Geração e Género na AcademiaEste projeto teve como objetivo analisar as diferenças geracionais nas experiências académicas femininas no ensino superior.
2013Ranking FIISEGCom o objetivo de atribuir prémios ao seu corpo docente tendo como base a respetiva produção científica (publicações), o Instituto Superior de Economia e Gestão (Lisboa School of Economics and Management – ISEG) solicitou o desenvolvimento de um ranking de revistas internacionais com revisão por pares, que pudesse substituir a listagem de revistas existente na instituição e que vinha a ser usada para o efeito. As tarefas desenvolvidas pela equipa de investigação foram as seguintes: - Construção do ranking para a instituição, tendo em consideração a natureza interdisciplinar dos diferentes departamentos e corpo docente do ISEG. - Reuniões com o conselho científico da instituição para perceber quais as especificidades do ISEG e as principais preocupações deste órgão de gestão relativas, quer ao ranking propriamente dito, quer à sua utilização como base para atribuir prémios aos docentes. - Redação de relatórios intermédios e final, relatando a metodologia e os racionais por trás da construção do ranking. - Apresentação do ranking proposto à comunidade científica do IESG. - Fornecer uma solução informática para disseminação do ranking, bem como a metodologia subjacente à mesma.